8 de outubro de 2011

Eu Fui - Cine Café - Eraserhead


Achocolatado quente com biscoitinhos não combinam nada com sangue, tripas, aborto mutante e coisas bizarras, certo? Aqui no Universo Compartilhado sim, e eu explico porque.
No dia 7 de outubro aproveitei a deixa de não ir para a faculdade para conhecer o Cine Café, um encontro realizado pelo Sesc Sorocaba, que sempre apresenta curtas e longas metragens que normalmente fogem do padrão Hollywoodiano.
Depois da exibição, o cinéfilo Marcelo Domingues conduz uma discussão com o público para debater o roteiro, as técnicas, linguagem, curiosidades e vários outros aspectos do filme e do curta. O bate papo é bem descontraído e colabora demais para os que não dominam o cinema (como eu).


"Eraserhead" é um longa experimental do diretor David Lynch, que demorou 6 anos (entre 1971 e 1977) para ser totalmente gravado e produzido por falta de recursos da equipe.
Fugindo do padrão linear, que apresenta uma história com começo, meio e fim e abusando do recurso do simbolismo, o filme surreal, angustiante e bizarro conta a história de Henry Spencer, que engravida sua namorada. O resultado foi um filho (se é que dá pra chamar assim aquela criatura horripilante) prematuro "mutante", que acaba por ser a razão da separação do casal.

Curiosidades levantadas no debate

- O diretor e roteirista, David Lynch, viveu história parecida com a do personagem principal. Casou-se com sua namorada antes de completar 21 anos, e sua filha nasceu com os pés deformados.
- Em muitas de suas obras há: surrealismo caracterizado por imagens do sonho humano e os mais estranhos sons; representações cênicas; panes elétricas e etc.

Minha opinião

O filme é muito chocante, eu permaneci o maior tempo, com a boca aberta por causa do espanto e também com o rosto virado para não encarar as cenas nojentas de líquidos viscosos, que saíam de alimentos, árvores e pessoas.
Mas, apesar de toda a estranheza com as imagens, o longa proporcionou vários momentos engraçados.
Dificilmente pode se dizer que o objetivo da história é ser compreendida de uma maneira geral, assim, como os filmes de super heróis, por exemplo, mas sim de maneira pessoal (cada um pensa o que quer). Todas as bizarrices do filme expressam a visão que o personagem tem sobre o mundo.

Dica: se você mora em Sorocaba ou região, participe do Cine Café!

Cine Café
Todas as sextas, às 19h
Local: Oficina Cultural Grande Otelo (praça do Fórum Velho) - Sorocaba
Entrada Gratuita